Revista Profissional do Exército dos EUA

Edição Brasileira

Arquivos da Edição Brasileira 2008

Julho-Agosto 2008

2 Manual de Campanha 3-0 Operações: O Anteprojeto do Exército

General  William S. Wallace  Exército dos EUA 

A edição de 2008 do Manual de Campanha do Exército 3-0, embora mais curto em tamanho que seus predecessores, apresenta os princípios fundamentais e conceitos que guiam a direção das operações do Exército em lugar de uma lista de tópicos que proporciona uma receita para o sucesso. As recentes experiências operacionais significantes da Guerra Contra o Terrorismo, especificamente as operações no Afeganistão, Iraque e Filipinas, assim como urgentes esforços de assistência seguindo os furacões Katrina e Rita, exigiram mudanças na doutrina.

9 Restaurando Esperança: A Revitalização Econômica no Iraque Segue Adiante

  Paul A. Brinkley Vice-Secretário de Defesa para Transformação Comercial dos EUA  

Os contra-insurgentes obtêm os sucessos mais frutíferos ao ganhar o apoio popular e a legitimidade no país anfitrião, e não por matar insurgentes. A segurança tem um papel importante ao preparar o terreno para outros progressos, mas a vitória duradoura vem por meio de uma economia vibrante, participação política e esperança restaurada. Paul Brinkley fornece uma ótima atualização sobre os esforços para modernizar a economia do Iraque.

21 Unidades Especializadas de Polícia do Exército Polonês

General de División  Boguslaw  Pacek  Exército Polonês 

En el mundo pos 11-S, la formación de unidades especializadas para realizar tareas de prevención de actividades terroristas es una entre varias medidas que actualmente se desarrollan en muchas naciones para enfrentar las nuevas exigencias de seguridad.

26 Irlanda do Norte: Uma Metodologia Equilibrada para Anistia, Reconciliação e Reintegração

Major  John  Clark  Exército Britânico 

Desde 1969 o Reino Unido vem tentado resolver o conflito na Irlanda do Norte por meio de anistia, reconciliação e reintegração. A pacificação dos conflitos na Irlanda do Norte proporciona valiosas lições para qualquer estudante de anistia, reconciliação e reintegração porque é um raro exemplo desses processos no contexto de uma democracia liberal ocidental. Esta discussão analisa os esforços britânicos de anistia, reconciliação e reintegração, grupando-os como um estudo de caso para ajudar a entender como esses três conceitos funcionaram no encontro de uma solução pacífica.

41 Uma Corrida com Novas Pernas: Perspectivas Essenciais sobre o Tema da Biometria no Iraque

  Andrew R. Hom   

A Tecnologia Biométrica (escaneamento da retina, análise do modo de andar, reconhecimento da voz, etc.) é basicamente invasiva. Usar essa tecnologia para mapear o povo iraquiano poderia alienar aqueles dos quais afirmamos que desejamos ganhar as mentes e corações.

52 Um Fracasso Estratégico: A Política Norte-Americana de Controle das Informações no Iraque Ocupado

 Dra. Cora Sol Goldstein   

A ocupação americana da Alemanha (1945-1949) permanece como um exercício modelo de democratização à força. De fato, personalidades proeminentes da administração Bush, incluindo a Secretária de Estado Condolezza Rice e o antigo Secretário de Defesa Donald Rumsfeld, compararam a experiência americana na Alemanha pós-guerra com o Iraque pós-guerra. Este artigo examina a política de controle das informações americana na Alemanha e no Iraque (2003-2006).

62 Serviços Imprescindíveis e Sangue: a Importância dos Serviços Básicos na Batalha entre Insurgentes e Contra-Insurgentes

Major  Erik A. Claessen  Forças Armadas da Bélgica 

Ao empregar o ativismo zakat-jihad, insurgências islâmicas têm tomado a iniciativa da linha de operações lógicas de serviços básicos e têm obtido uma posição vantajosa em suas defesas contra os contra-insurgentes. Por isso, deve-se planejar e executar atividades de contra-insurgência ao longo desta linha como operações militares deliberadas contra um inimigo capaz e determinado, e não como simples atividades que não têm oposição.

71 Mapeamento do Terreno Humano׃ O Crítico Primeiro Passo Para Vencer a Luta da Contra-Insurgência

Tenente-Coronel  Jack  Marr  Exército dos EUA 

Major  John  Cushing  Exército dos EUA 

Major  Brandon  Garner  Exército dos EUA 

Capitão  Richard  Thompson  Exército dos EUA 

De acordo com a atual doutrina militar dos EUA, o caminho para a vitória numa contra-insurgência encontra-se ligado ao relacionamento com a população nativa. As experiências no Iraque e no Afeganistão, onde o povo é o centro de gravidade, levaram a este conceito doutrinário. Entretanto antes que o contra-insurgente possa ganhar os corações e mentes do povo, ele precisa tomar os passos necessários para realmente conhecê-los e entendê-los.

79 O Despertar de Anbar – O Ponto Decisivo

Coronel  Sean  MacFarland  Exército dos EUA 

Major  Neil  Smith  Exército dos EUA 

Muitos, dentro e fora das forças militares (ainda em novembro de 2006), tinham avaliado a situação em Anbar como uma causa perdida. O “Despertar de Anbar” por parte dos líderes tribais sunitas e seus apoiadores começou em setembro de 2006 próximo a Ramadi e surgiu repentinamente. Entretanto, a mudança que levou à derrota da Al-Qaeda em Ramadi — o que alguns chamaram de “o Gettysburg do Iraque” — não foi um evento casual.

93 Contracapa

Setembro-Outubro 2009

Edição completa

Capa

Índice

2 O Talibã: Uma Análise Organizacional

Major  Shahid  Afsar  Exército do Paquistão 

Major  Chris  Samples  Exército dos EUA 

Major  Thomas  Wood  Exército dos EUA 

Uma das imagens mais bem reconhecidas dos tempos atuais é aquela de aviões colidindo contra o World Trade Center em 11 de setembro de 2001. A organização terrorista Al-Qaeda e seu anfitrião, o Talibã no Afeganistão, chegaram a ser nomes conhecidos por todos no mundo inteiro naquele dia fatídico. A mídia começou a publicar histórias sobre as brutalidades do Talibã e o mundo descobriu um novo monstro.

19 Ajuda Humanitária Interna: Nova Orleans

Major  Michael C. Donahue  Exército dos EUA 

Quinta-feira, 1º de setembro de 2005, a 2ª Brigada da 1ª Divisão de Cavalaria se colocou em posição de alerta para desdobrar-se para Nova Orleans com a finalidade de ajudar nas operações de auxílio humanitário após o furacão Katrina. A Brigada Black Jack, ao desdobrar-se depois de um ano de serviço no Iraque, havia perdido um número considerável de oficiais e soldados alistados devido às designações para novos cargos depois do seu emprego.

30 Pela Lente Cultural Árabe

  Helen Altman Klein Ph.D.  

  Gilbert  Kuperman   

O General Robert H. Scales, aposentado, descreveu como no mundo de hoje a vitória militar “será definida mais em termos de capturar a superioridade psico-cultural ao invés da superioridade geográfica”. É por meio deste espírito que vemos o Oriente Médio árabe. Os civis e militares estão cada vez mais conscientes dos costumes, organização social, liderança e religião como aspectos da cultura árabe. É evidente que, na forma que encontramos os eventos internacionais de hoje, os Estados Unidos e seus aliados precisam compreender a maneira como os árabes pensam.

37 O Assunto Mais Importante — A Reforma Legislativa do Sistema de Segurança Nacional

  James R. Locher III  

O sistema de segurança nacional que o presidente usa para administrar os instrumentos de poder nacional e a maneira pela qual o Congresso supervisiona e financia o sistema não concedem a agilidade requerida para proteger os EUA e seus interesses num mundo em constante transformação e progressivamente complexo. Desde 11 de Setembro e do Furacão Katrina até as guerras no Afeganistão e Iraque e as emergentes ameaças ao nosso país, os desafios à segurança nacional no século XXI exigem comunicação mais eficaz de lado a lado dos tradicionais limites organizacionais.

47 De Conflito Permanente à Paz Duradoura nas Filipinas

Major  Gary J. Morea  Exército dos EUA 

A população das Filipinas é um mosaico de ideologias, religiões e culturas diversas que se fundem em três regiões distintas do arquipélago. Às vezes, essas regiões estão em disputa umas contra as outras. Embora houvesse várias tentativas de resolução do conflito ao longo dos anos, por meio de muitas formas de governo diferentes, o conflito ainda não foi resolvido e os grupos continuam a batalhar contra o governo central por reconhecimento político, concessões e/ou autonomia.

59 A Máquina de Mídia da Al-Qaeda

  Philip  Seib J.D.  

Como uma estrela de rock em envelhecimento que tem perdido proeminência, ocasionalmente Osama bin-Laden decide lembrar às pessoas que ele ainda existe. Ele faz aparições em vídeos que primeiramente circulam nos canais de televisão muçulmanos, mas que o mundo rapidamente vê na televisão ou em muitos sites da internet. A mensagem de Bin-Laden é “Eh! Ainda não me pegaram,” a qual alegra seus fãs, mas suas ameaças e declarações são principalmente ditados terroristas padronizados. Por todas as análises de suas frases e pelo exame minucioso da cor de sua barba, quase que nada em seus vídeos nos ajuda a melhor entender e combater o terrorismo.

67 A História Por Trás do Ato de Segurança Nacional de 1947

 Dr. Charles A. Stevenson   

O Ato de Defesa Nacional de 1947 tinha como propósito reorganizar e combinar as forças armadas, porém a luta pela reforma foi uma batalha difícil. A história por trás do ato é uma narração de rivalidade entre forças singulares, construção de engenhosas alianças com o Congresso, confrontos de ambição — e, claro, o desejo de reforçar as defesas dos EUA para que pudessem exercer liderança global e se opor à ameaça soviética.

77 O Componente que está faltando nas Comunicações Estratégicas dos EUA

  William M. Darley   

Logo após os ataques de 11 de Setembro, alguns observadores políticos visionários começaram a declarar que os EUA foram jogados dentro de uma guerra que não somente iria requerer ação militar, porém mais importante, obrigaria a Nação a competir na chamada guerra de idéias. Contudo, o governo dos EUA foi geralmente vagaroso em discernir a natureza do conflito, vagaroso em reconhecer a sua falta de capacidade em lidar com tal conflito e agonizantemente vagaroso em mobilizar-se robustamente para essa dimensão do conflito.

85 Reforma de Interagências: Uma Perspectiva do Congresso

 Congressista Geoff  Davis   

A reforma organizacional da segurança nacional é de importância vital para nossa Nação. Como um membro do Comitê das Forças Armadas da Câmara dos Representantes dos EUA e co-presidente do Grupo de Trabalho de Reforma de Interagências da mesma, avançar tal reforma é uma das minhas prioridades mais altas como membro do Congresso. Essa também é uma prioridade que é compartilhada pelos nossos distintos colegas de ambos os partidos políticos. Nesta tarde, gostaria de partilhar a minha perspectiva num componente essencial de uma importante iniciativa de reforma — a reforma da segurança nacional de interagências para assegurar operações mais efetivas.

89 Contracapa

Novembro-Dezembro 2009

Edição completa

Capa

Índice

2 Manual de Campanha 3-07, Operações de Estabilidade: Aumentando a Velocidade da Mudança

General  William B. Caldwell IV  Exército dos EUA 

Tenente-Coronel  Steven M. Leonard  Exército dos EUA 

A publicação do Manual de Campanha FM 3-07, Stability Operations (Operações de Estabilidade), nos meses vindouros, reconhecerá e enfatizará a extrema importância da abordagem do “conjunto do governo”, essencial para alcançar o sucesso sustentável numa era de conflito persistente. Essa postura é chave para operar num futuro incerto à nossa frente.

11 Persuasão e Coerção nas Operações de Contra-Insurgência

  Andrew J. Birtle Ph.D.  

"É evidente", comentou o Secretário de Guerra Elihu Root no fim da Guerra das Filipinas, "que se pôs termo à insurreição tornando a guerra penosa e inútil por um lado e a paz atraente por outro."

21 Legitimidade e Operações Militares

Tenente-Cornel  James W. Hammond  Forças Armadas Canadenses 

Para obter sucessos de longo prazo, os EUA devem executar todas as operações militares com o conceito de legitimidade em mente.

35 Desgaste: O Esgotamento do Estado-Maior

Major  Stephen H. Bales  Exército dos EUA 

Os comandantes devem tomar iniciativas proativas para aliviar as condições que causam a perda da eficiência máxima por parte de seus estados-maiores.

41 A Única Superpotência em Declínio: A Ascensão de um Mundo Multipolar

  Shri Dilip Hiro   

Um autor de renome afirma que estamos testemunhando a ascensão de um mundo multipolar no qual novos poderes desafiam os diferentes aspectos da supremacia norte-americana.

47 Estendendo a Mão: Parceria com a Mídia do Iraque

Tenente-Coronel  Frank B. DeCarvalho  Exército dos EUA 

Major  Spring  Kivett  Exército dos EUA 

Capitão  Mathew  Lindsey  Exército dos EUA 

Desde o começo das operações de combate no Iraque, em março de 2003, a mídia disseminou inúmeros artigos e reportagens relacionados com a guerra, alcançando não só os cidadãos americanos e famílias militares nos EUA, mas também uma comunidade internacional interessada em avaliar o progresso da coalizão.

57 O Gerenciamento do Conhecimento pela Força Geradora

Tenente-Coronel  E.J.  Degen  Exército dos EUA 

A Guerra Fria deixou o Exército acomodado com um processo doutrinário pensado, metódico e demorado. Hoje, porém, o ritmo operacional acelerado da Guerra Contra o Terrorismo nos força a olhar com honestidade e a fundo o modo como coletamos, analisamos, discutimos, codificamos, escrevemos e disseminamos a doutrina.

68 Um Passado Turbulento: O Exército e a Segurança na Fronteira Mexicana, 1915-1917

  Thomas A. Bruscino Jr. Ph.D.  

Em junho de 2006, os Estados Unidos enviaram forças militares à fronteira sul para ajudar a deter a onda de imigração ilegal do México.

84 Índice Anual 2008

97 Contracapa