Revista Profissional do Exército dos EUA

Edição Brasileira

Arquivos da Edição Brasileira 2011

Janeiro-Fevereiro 2011

Edição completa

A edição completa bem como todos os artigos estão em formato pdf. As edições completas podem ter arquivos grandes que podem levar algum tempo para baixar. Os arquivos individuais podem ser baixados clicando nos títulos dos artigos abaixo.

Capa

Índice

2 Agora que Estamos Saindo do Iraque, o que Aprendemos?

Coronel Craig A. Collier, Exército dos EUA

Em 19 Ago 10, a última Unidade de combate (4ª Brigada Stryker da 2ª Divisão de Infantaria) deixou o Iraque, quando a Operação Iraqi Freedom deu lugar à Operação New Dawn.

8 O Desafio de Liderar no Ambiente Interagências

William J. Davis Jr., Ph.D.

A participação de diversos órgãos federais é indispensável para o tratamento da miríade de assuntos decorrentes dos contatos com estrangeiros durante as operações militares.

11 Sistemas Aéreos Não Tripulados: Qualidade, e não apenas Quantidade

Capitão Kyle Greenberg, Exército dos EUA

Em Abr 08, o Secretário de Defesa Robert Gates proferiu uma palestra no Air War College (Escola de Guerra Aérea), na Base Aérea de Maxwell, na qual elogiou a introdução de sistemas aéreos não tripulados no arsenal da Força Aérea.

22 Discutindo Grande Estratégia

Capitão-de-Fragata (Reserva) John T. Kuehn, Ph.D., Marinha dos EUA

Recentemente tem havido muita crítica, verdadeiros “sermões”, sobre o tema “grande estratégia” dos Estados Unidos. Desse debate emergiu o consenso de que o país não tem uma grande estratégia.

27 A Ética Automática: Nossos Pressupostos São Importantes

Keith Leavitt, Ph.D.

Major Walter J. Sowden, Exército dos EUA

Quase todas as decisões ou ações que tomamos ao longo do dia são baseadas em uma diversidade de pressupostos, que aceitamos sem questionar.

31 A Atuação do Batalhão Brasileiro Após o Terremoto do Haiti

General-de-Brigada Ajax Porto Pinheiro, Exército Brasileiro

Tínhamos de nos adaptar ao novo cenário, para que a tropa brasileira no Haiti permanecesse relevante no momento em que os olhos do mundo estavam voltados para lá.

38 A Vontade Nacional sob a Perspectiva de Ameaça

E. Margaret Phillips

O documento sobre o Ambiente Operacional do gabinete de Inteligência do Comando de Instrução e Doutrina do Exército dos EUA afirma que os adversários do país identificaram a vontade nacional como uma vulnerabilidade historicamente crítica na postura de segurança nacional dos EUA.

46 A Revolta dos Generais: Um Estudo de Caso sobre a Ética Profissional

Martin L. Cook, Ph.D.

Uma nova dimensão desse debate surgiu dois anos atrás, com a crítica pública à política do governo e, em particular, ao Secretário Rumsfeld, por parte de vários oficiais-generais que haviam passado recentemente para a Reserva.

56 Heurísticas e Vieses no Processo Decisório Militar

Major Blair S. Williams, Exército dos EUA

A descrição metafórica de Carl von Clausewitz sobre a condição da guerra é tão precisa hoje em dia quanto na época em que foi redigida, no início do século XIX. O Exército enfrenta um ambiente operacional caracterizado pela volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade.

70 “Desarmando” o Engajamento de Lideranças Importantes

General-de-Brigada Richard C. Nash e

Capitão Eric P. Magistad, Guarda Nacional do Estado de Minnesota

Engajamentos com líderes-chave haviam ajudado os comandantes a avançar na busca de seus objetivos, ao estabelecerem relações com iraquianos influentes, familiarizados com o complexo “terreno humano” do país.

80 Liderança Nociva: Parte II

Coronel George E. Reed (Reserva), Ph.D., Exército dos EUA, e

Tenente-Coronel Richard A. Olsen (Reserva), D.Min., Exército dos EUA

Pergunte a um grupo de oficiais e graduados se eles já cogitaram deixar a profissão das Armas devido ao modo pelo qual foram tratados por um superior e, dependendo do tempo de serviço do grupo, algo entre um terço e 100% deles levantarão a mão para dizer que sim.

89 Contracapa

As edições ibero-americana e brasileira da Military Review tiveram o prazer de recepcionar os oficiais alunos da América Central, América do Sul e Espanha que ora frequentam o Curso de Comando e Estado-Maior do Exército dos EUA, em uma cerimônia realizada na tarde de 17 de setembro de 2010 no Centro Lewis and Clark no Forte Leavenworth.

Março-Abril 2011

Edição completa

A edição completa bem como todos os artigos estão em formato pdf. As edições completas podem ter arquivos grandes que podem levar algum tempo para baixar. Os arquivos individuais podem ser baixados clicando nos títulos dos artigos abaixo.

Capa

Índice

2 A Abordagem do Exército dos EUA para Assistência a Forças de Segurança

General Edward P. Donnelly, Exército dos EUA

Coronel Mike Redmond, Exército Britânico

Major Bill Torrey, Exército dos EUA

O Exército precisa adaptar suas instituições de administração da Força para sustentar os esforços de AFS e torná-los parte de suas competências essenciais na mesma proporção em que mantém sua habilidade de conduzir grandes operações de combate.

9 Avaliando o Desenvolvimento Econômico em um Ambiente de Contrainsurgência

Tenente-Coronel Nancy E. Blacker, Exército dos EUA

Tenente-Coronel Charlie H. Kim, Exército dos EUA

Como se mede o progresso do desenvolvimento econômico em uma campanha de contrainsurgência? Evidentemente, deve-se conduzir algum tipo de avaliação rigorosa para responder a essa importante pergunta.

18 Técnico e Filósofo: Como Desenvolver a Relevância e o Capital Intelectual dos Combatentes de Informações do Exército

James E. Shircliffe, Jr.

São inúmeras as discussões, os artigos, os livros e as apresentações que enfatizam a necessidade de o Exército competir com mais efetividade contra uma variedade de atores estatais e não estatais no ambiente de informações.

24 Como Controlar os Acidentes Capitais do Terreno Humano: Identificação de Oportunidades Culturais para a Insurgência

Major Mark J. Broekhuizen, Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA

O General David Petraeus disse recentemente: “A essência de toda e qualquer estratégia de contrainsurgência deve se concentrar no fato de que o terreno decisivo é o terreno humano, e não o terreno dominante ou o ponto para a transposição de um rio”.

31 Reintegrar e Reconciliar no Afeganistão: É Hora de Pôr Fim ao Conflito

Tenente-Coronel Mark E. Johnson, Exército dos EUA

Tem havido muito debate, ultimamente, sobre a reintegração e a reconciliação no Afeganistão e sobre o impacto que isso terá no término do conflito atual.

37 Lidando com Absolutos: a Religião, o Ambiente Operacional e a Arte do Design

Tenente-Coronel Prisco R. Hernández (Reserva), Ph.D., Exército dos EUA

Este artigo examina os efeitos da religião no ambiente operacional e como os planejadores e comandantes podem utilizar o conceito de Design para obter um entendimento situacional mais profundo do papel que ela exerce em motivar e justificar ações em tal ambiente.

46 O Desafio da Transformação

Major Alessandro Visacro, Exército Brasileiro

As ações empreendidas em nome da Guerra Global Contra o Terror levaram as Forças Armadas mais poderosas do planeta a um impasse estratégico nas longínquas zonas rurais do Afeganistão e nas conturbadas ruas do Iraque.

56 Identificando o Centro de Gravidade no Assessoramento aos Afegãos

Major David H. Park, Exército dos EUA

Ouvimos, com frequência, mentores estadunidenses falarem sobre o que seria o “certo” para o contexto afegão. Muitos, dentre eles, diriam: “É melhor que seja feito pelos afegãos, ainda que de forma sofrível, do que feito com perfeição, por você...”

66 Resposta a Desastres no Exterior: Observações da Força-Tarefa Conjunta-Haiti

General-de-Divisão P. K. (Ken) Keen

Tenente-Coronel Matthew G. Elledge

Tenente-Coronel Charles W. Nolan

Tenente-Coronel Jennifer L. Kimmey, Exército dos EUA

A devastação causada pelo terremoto de magnitude 7,0 no Haiti, em 12 de janeiro de 2010, ocasionou o maior e mais longo esforço militar dos EUA em operações de atendimento a desastres no exterior.

79 A Contrainsurgência na Província de Nangarhar, no Leste do Afeganistão, de 2004 a 2008

Robert Kemp

No período de 2004 a 2008, a Província de Nangarhar, no leste do Afeganistão, apresentou considerável progresso, tanto na contrainsurgência, quanto no combate à produção e ao tráfico de drogas.

89 Contracapa

A equipe da Military Review parabeniza o recém-promovido General-de-Brigada Mario Messen Cañas por sua recente promoção e nomeação para o comando da II Divisão do Exército Chileno. A Military Review se sente honrada por haver colaborado com o General-de-Brigada Messen, quando ele desempenhou a função de assessor de edição junto à nossa equipe, no Forte Leavenworth, Estado do Kansas.

Maio-Junho 2011

Edição completa

A edição completa bem como todos os artigos estão em formato pdf. As edições completas podem ter arquivos grandes que podem levar algum tempo para baixar. Os arquivos individuais podem ser baixados clicando nos títulos dos artigos abaixo.

Capa

Índice

2 Controlar a Fera Interior: A Chave do Sucesso nos Campos de Batalha do Século XXI

Major Douglas A. Pryer, Exército dos EUA

"O que eu quero que vocês façam?!", bradou, com sua voz áspera, o comandante da brigada. "Eu quero que vocês os matem!" No dia 14 Nov 97, a 3ª Brigada da 4ª Divisão de Infantaria (a "Brigada de Ferro") participava de uma "Avaliação de Combate Avançada", no Forte Hood, no Estado do Texas.

14 Reconstruindo as Forças de Segurança Nacionais do Afeganistão: Combatendo Assimetria com Simetria

Brigadeiro Michael R. Boera

Tenente-Coronel Aviador Paul R. Birch, Força Aérea dos EUA

Assimetria: as formas de explorá-la e os meios para se contrapor a ela dominam o pensamento de militares profissionais hoje, tanto quanto há uma década. O jornal The Guardian, imediatamente após o 11 de Setembro, indicava que a "guerra assimétrica" havia se tornado uma "frase em voga".

23 Como Sair do Afeganistão

Bing West

Temos um problema. Nossa doutrina de contrainsurgência (COIN) afirma que "soldados e fuzileiros navais devem ser capazes de realizar a ‘construção nacional’, além de serem combatentes". Passados dez anos, não construímos a nação afegã, e o esforço despendido acabou retirando o foco do etos do guerreiro, enfraquecendo-o.

31 Credibilidade dos EUA: O Teste Que Está Por Vir

Amitai Etzioni

O poder relativo dos Estados Unidos está em declínio, não só porque o poder de outras nações está crescendo, mas também porque os desafios econômicos e os onerosos compromissos no exterior o vêm enfraquecendo. Nesse contexto, a credibilidade do país em seus engajamentos no exterior e a percepção de que ele irá respaldar suas ameaças e promessas com ações vêm adquirindo maior importância.

42 A Influência como Medida de Eficácia

Major Andrew J. Knight, Exército dos EUA

A verdadeira medida de sucesso no Afeganistão é a "quantidade de influência" que o governo mantém sobre a população, algo que não é avaliado uniformemente.

52 Planejamento Integrado: Processo Operacional, Design e Processo Decisório Militar

Coronel Wayne W. Grigsby Jr., Exército dos EUA

Scott Gorman, Ph.D.

Coronel Jack Marr, Exército dos EUA

Tenente-Coronel Joseph McLamb, Exército dos EUA

Michael Stewart, Ph.D.

Pete Schifferle, Ph.D.

Nos últimos anos, a Escola de Estudos Militares Avançados (School of Advanced Military Studies — SAMS) vem buscando dois objetivos referentes a design. Primeiro, a escola atuou como uma das defensoras do conceito de design no Exército, tendo desempenhado importante papel na introdução da ideia no léxico castrense, sob a liderança exemplar do Coronel Steve Banach.

61 Guia Prático para o Design: uma Sugestão para Entendê-lo e Executá-lo

Tenente-Coronel Celestino Perez Jr., Ph.D., Exército dos EUA

Exercer um comando militar é tarefa difícil. Essa dificuldade surge, em parte, porque o ambiente operacional onde o comandante se encontra não lhe permite ter uma compreensão completa nem prever os acontecimentos. Ainda assim, faz-se necessário algum tipo de compreensão e previsão. Considerando que o trabalho letal e cooperativo de qualquer comandante militar ocorre em um contexto sociopolítico e ético, é preciso entender a complexa mistura de fatores militares e não militares e visualizar o resultado das intervenções de suas Unidades e de outros atores presentes.

72 México: Estado em Via de Fracassar ou Democracia Emergente?

Major Juan P. Nava, Exército dos EUA

Em janeiro de 2009, antes de aposentar-se, o Diretor da Agência Central de Informações (CIA), General Michael Hayden, avaliou a crescente violência no México ao longo dos 3.200 quilômetros da fronteira com os Estados Unidos como sendo maior do que a existente no Iraque e qualificou o problema como equivalente à ameaça potencial que o Irã representará à segurança nacional dos Estados Unidos da América no futuro.

82 Teoria, Estratégia e Práxis Militares

Jacob W. Kipp, Ph.D.

Tenente-Coronel Lester W. Grau (Reserva), Ph.D., Exército dos EUA

Com o colapso da União Soviética, o caráter bipolar das relações mundiais chegou ao fim. O Ocidente tinha a supremacia. Contudo, como a teoria, a estratégia e a práxis se adaptariam à nova realidade?

93 Contracapa

Na ocasião da comemoração do bicentenário de criação desse tradicional e valoroso Estabelecimento de Ensino do Exército Brasileiro, a Military Review saúda todos os seus integrantes.

Julho-Agosto 2011

Edição completa

A edição completa bem como todos os artigos estão em formato pdf. As edições completas podem ter arquivos grandes que podem levar algum tempo para baixar. Os arquivos individuais podem ser baixados clicando nos títulos dos artigos abaixo.

Capa

Índice

2 Forças Mecanizadas na Guerra Irregular

Major Irvin Oliver, Exército dos EUA

Conforme o Exército desenvolve seu caminho para enfrentar o que o General George W. Casey chamou de uma “era de conflito persistente”, torna-se mais evidente que as forças mecanizadas vêm exercendo um papel cada vez menor em favor das Grandes Unidades de Infantaria.

12 A Primeira Revisão do Manual de Campanha 3-0: Como o Exército Combate Hoje

General de Divisão Robert L. Caslen Jr., Exército dos EUA

A versão de 2008 do Manual de Campanha 3-0 — Operações (FM 3-0 — Operations) iniciou uma ampla mudança na doutrina do Exército, ao reunir as experiências obtidas pela Força ao longo de sete anos de combate e usá-las para mudar a forma pela qual o Exército conceitua suas operações. Ela estabeleceu o chamado “espectro completo de operações” — operações ofensivas, defensivas e de estabilização ou de apoio civil, acontecendo de forma simultânea — como o conceito central que deve orientar a capacitação do Exército.

17 Como a Inteligência Emocional Pode Fazer a Diferença

Gerald F. Sewell

Em outubro de 2006, a recém-revisada doutrina sobre liderança do Exército tornava-se oficial com a publicação do Manual de Campanha 6-22. O novo marco de liderança introduzido por esse Manual destacou 12 atributos e 8 competências de liderança necessários para que um líder possa “Ser, Saber e Fazer”.

22 Violência Econômica: Está na Hora de Mudar o Jogo

Capitão Jonathan Pan, Exército dos EUA

Há uma escalada de tropas em curso no Afeganistão, mas acreditamos que não deve haver um aumento correspondente no Programa de Resposta de Emergência do Comandante (Commander’s Emergency Response Program — CERP).

29 Uma Estratégia do Comandante para as Mídias Sociais

Thomas D. Mayfield III

Um dos desafios que os comandantes enfrentam atualmente é o de desenvolver estratégias que reconheçam as mudanças decorrentes das mídias sociais, impostas à natureza do combate.

38 A Junta Interamericana de Defesa e os Desafios Contemporâneos

General de Brigada Racine Bezerra Lima Filho, Exército Brasileiro

CMG (FN) Romilton Mello, Marinha do Brasil

Cel QMB Luis Duizit Brito, Exército Brasileiro

Cel Av Gilson de Barros Caputo Júnior, Força Aérea Brasileira

O Sistema Interamericano é composto por diversos organismos, com propósitos múltiplos, que, às vezes se superpõem e raramente se complementam.

47 Duas Passagens pelo Afeganistão, Separadas por Vinte Anos e Dois Exércitos

Major Eero Kinnunen, Forças de Defesa da Estônia

Tenente-Coronel Lester W. Grau (Reserva), Exército dos EUA

O Major Kinnunen completou, recentemente, sua segunda passagem pelo Afeganistão, algo não propriamente incomum, exceto pelo fato de que a primeira vez foi há mais de vinte anos, com o 40o Exército Soviético.

59 Reflexões de um Velho Professor sobre Guerra e Paz

Edward Bernard Glick

Nós, seres-humanos, talvez possamos desfrutar de tempos de paz — às vezes por longos períodos —, mas nunca nos livraremos completamente da guerra, porque somos “programados” a lutar por território.

63 Lutando para Entender: Um Exemplo Prático de Design no Escalão Batalhão

Tenente-Coronel Pat Proctor, Exército dos EUA

Desde o surgimento do conceito de design, tem havido grande debate e confusão sobre em que ele consiste exatamente. Isso não surpreende. De certo modo, tentar definir design é como tentar descrever o indescritível.

74 Neurociência para Comandantes Combatentes: A Liderança no Campo de Batalha Moderno sob uma Abordagem Baseada no Cérebro

Major Andrew Steadman, Exército dos EUA

Tenente-Coronel Lester W. Grau (Reserva), Ph.D., Exército dos EUA

O sucesso no combate é resultante de como o cérebro lida com situações perigosas e de como desempenha tarefas que garantem a sobrevivência.

89 Contracapa

A equipe da Military Review teve o privilégio de participar da 14ª Conferência sobre Segurança do Hemisfério Ocidental, realizada no início de maio de 2011, em Washington, D.C.

Setembro-Outubro 2011

Edição completa

A edição completa bem como todos os artigos estão em formato pdf. As edições completas podem ter arquivos grandes que podem levar algum tempo para baixar. Os arquivos individuais podem ser baixados clicando nos títulos dos artigos abaixo.

Capa

Índice

2 Nivelando Conhecimentos sobre o Sistema de Defesa dos Estados Unidos da América

Coronel de Cavalaria Douglas Bassoli, Exército Brasileiro

Com a possibilidade de realizar experimentação continuamente, o U.S. Army tem se mantido em permanente evolução, alterando planejamentos e programas com relativo dinamismo.

9 Os Militares e a Política: Derrubando Alguns Mitos

Coronel-Aviador Phillip S. Meilinger (Reserva), Força Aérea dos EUA

Nem sequer passa pela cabeça de um cidadão estadunidense de hoje a ideia de que o principal comandante militar do país possa candidatar-se a um cargo político importante, estando ainda na ativa.

19 Deuses da Cidade e Divindades da Aldeia: O Viés Urbano nas Operações de Contrainsurgência

Eric Jardine

A história mostra que as insurgências de base rural têm frequentemente mais sucesso contra seus inimigos do que as que enfatizam as operações urbanas.

29 Operações de Informações: De Boas a Ótimas

General (BG) Ralph O. Baker, Exército dos EUA

Para controlar o centro de gravidade no combate de contrainsurgência, temos de assegurar a transmissão repetitiva de mensagens precisas e coordenadas aos públicos-alvo, a fim de influenciarmos suas atitudes e seu comportamento.

36 Sete Pilares de Poder das Pequenas Guerras

Randy Borum, Ph.D.

Há sete fontes de poder que são relevantes para as insurgências e os movimentos de resistência. O entendimento dessas pode ajudar a explicar como e por que algumas insurgências obtêm sucesso e outras não, e ajudar a formar estratégias para enfrentá-las.

47 Clausewitz e os Estudiosos da "Nova Guerra"

Bart Schuurman

Os teóricos da "nova guerra" já provaram que as forças armadas do Ocidente precisam alterar definitivamente a forma como encaram os conflitos armados e como se preparam para eles. Infelizmente, alguns desses teóricos também tentaram mudar radicalmente a maneira como vemos os conflitos armados em geral.

57 Convivendo com um Elefante: Observações Pessoais sobre as Operações de Coalizão no Ambiente Operacional Contemporâneo

General de Exército Sir Nick Parker, Exército Britânico

Como obter a máxima efetividade nas atuais operações de coalizão, particularmente quando um dos países parceiros é claramente predominante em termos de massa ou investimento físico?

68 O Design da Vitória na Europa

Coronel John J. Marr, Exército dos EUA

O General de Divisão Morgan logo se deu conta de que um esforço para desenvolver uma campanha tão ampla como um ataque à Alemanha pelo noroeste da Europa, com o objetivo de a pôr fim à guerra, exigiria mais que apenas o planejamento militar tradicional.

76 Combatendo na Guerra da Informação e Perdendo a Credibilidade: O Que Podemos Fazer?

Tenente-Coronel Rumi Nielson-Green, Exército dos EUA

A chamada "guerra da informação" contra terroristas e insurgentes já custou quase 1 bilhão de dólares às Forças Armadas estadunidenses, nos últimos três anos. No entanto, esse talvez não tenha sido o principal custo.

84 A Disputa pela Aldeia: Sul do Afeganistão, 2010

Tenente-Coronel Brian Petit, Exército dos EUA

Decorridos nove anos de guerra no Afeganistão, a estrutura social ali predominante — a aldeia — continua desafiando estrategistas e executores das atividades de contrainsurgência que buscam obter e manter influência sobre a população rural do país. A aldeia afegã é difícil de ser entendida, complicada para ser engajada e representa um desafio para quem pretenda exercer qualquer tipo de influência.

93 Contracapa

O pessoal da Military Review deseja aproveitar esta ocasião para manifestar sua profunda gratidão ao Coronel Cristian E. Chateau Magalhaes, do Exército do Chile, por seu trabalho desinteressado e incansável em apoio à edição hispano-americana, no desempenho de suas funções como Editor-Assessor.

Novembro-Dezembro 2011

Edição completa

A edição completa bem como todos os artigos estão em formato pdf. As edições completas podem ter arquivos grandes que podem levar algum tempo para baixar. Os arquivos individuais podem ser baixados clicando nos títulos dos artigos abaixo.

Capa

Índice

2 Alinhando os Meios com os Fins: Rumo a uma Nova Forma de Combate

Coronel Charles A. Pfaff, Exército dos EUA

Os Estados Unidos não conseguiram alinhar a estratégia e os objetivos nas guerras no Iraque e no Afeganistão. Isso levou a uma “surpresa estratégica”, evidenciada pelas imprevistas e caras campanhas de contrainsurgência que se seguiram. Esse descompasso entre a estratégia e os objetivos políticos decorre da compreensão equivocada da natureza dos objetivos, nos Estados Unidos da América.

8 Operação de Paz no Haiti: Assuntos Pendentes

General de Brigada Eduardo Aldunate Herman (Reserva), Exército do Chile

Servi como Subcomandante da Força Militar da Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (MINUSTAH) durante 13 meses. Esse período teve como ponto culminante a assunção do poder pelo Presidente René Préval e seus primeiros meses de governo.

18 Liderança Engajada: Vinculando a Ética Profissional ao Comportamento no Campo de Batalha

Coronel George N. Appenzeller, Exército dos EUA

Major Christopher H. Warner, Exército dos EUA

O comportamento ético por parte dos soldados no campo de batalha é de extrema importância em operações de contrainsurgência e de estabilização, nas quais o apoio da população local é vital para o êxito da missão.

29 Ao Estilo Holandês: As Atividades de Combate às Drogas na Província Afegã de Uruzgan

Erik Donkersloot, Real Força de Defesa da Holanda

Sebastiaan Rietjens

Christ Klep

Como os holandeses veem a guerra contra as drogas naquele país da Ásia Central? É possível identificarmos uma "Abordagem Holandesa" para o problema?

39 Liderança Transformadora: a Visão de William DePuy para o Exército

Tenente-Coronel Jeffrey S. Wilson

DePuy deu início a uma mudança de paradigma na forma como o Exército dos EUA considerava o relacionamento entre aquisições de material, a instrução, o ensino e o emprego da Força.

48 O Relacionamento entre os Militares e a Mídia: um Exercício de Paciência Estratégica

Coronel Steven A. Boylan (Reserva), Exército dos EUA

O relacionamento entre os militares e a mídia se parece muito com um casamento. A lua de mel já acabou há muito tempo, e os dois já tiveram a oportunidade de ver o que cada um tem de melhor e de pior. Não podem se divorciar nem pensar em pedir por uma separação permanente. Estão ligados para sempre e ficam juntos pelo bem dos filhos.

59 O Caminho para a Reconciliação: Desarmamento, Desmobilização e Reintegração

Capitão Matthew Q. Rodano, Guarda Nacional do Exército do Estado de Nova York

O Iraque possui um passado complexo, que envolve etnias, religiões e tribos. Em muitos casos, as diferenças entre esses grupos resultaram em conflito, que variaram desde a simples relutância em trabalharem juntos até atos de hostilidade e violência. O processo de reconciliação busca superar essas diferenças, para garantir que esses grupos possam conviver lado a lado e sob um governo soberano e legítimo.

67 Análise da Campanha Cibernética da Rússia Contra a Geórgia, em 2008

Capitão Paulo Shakarian, Exército dos EUA

Em agosto de 2008, o Exército russo invadiu a Geórgia. Diversos ataques cibernéticos coordenados acompanharam a campanha militar. Essa foi a primeira vez que uma operação de ataque contra uma rede de computadores (ARC) de grande escala foi executada em conjunto com importantes operações de combate terrestres. O ataque não teve ligação direta com o governo russo, mas exerceu importante impacto psicológico e de informação na Geórgia: isolou-a do resto do mundo.

74 Índice Anual

89 Contracapa

O Coronel Jorge Gatica Bórquez formou-se pela Escola Militar do Exército do Chile em 01 Jan 82, tendo sido promovido a segundo-tenente da Arma de Cavalaria Blindada na mesma data. A equipe da Military Review, juntamente com os demais integrantes do Centro de Armas Combinadas e com a comunidade do Forte Leavenworth, formula os votos de boas-vindas ao Coronel Gatica e sua família.